Predisposição Genética Cancro

Recentemente, descobriram-se dois genes tumorais, BRCA-1 e BRCA-2, associados ao cancro da mama. BRCA é uma abreviatura de "breast cancer" (cancro da mama, em inglês). As mulheres com uma mutação nos genes BRCA-1 ou BRCA-2 têm um risco 85% maior de virem a desenvolver cancro da mama.

Encontra-se uma predisposição familiar em 30% dos doentes com tumores gastrointestinais. Dentro destes casos faz-se uma distinção entre cancro gastrointestinal hereditário e uma tendência familiar para o cancro gastrointestinal. O primeiro grupo representa cerca de 7-10% de todas as causas de cancro gastrointestinal e relativamente ao segundo são ainda desconhecidas as causas genéticas precisas da predisposição familiar.

No caso dos linfomas malignos, não foi demonstrada, até à data, a existência de predisposição genética ou de factores genéticos. No entanto, em alguns linfomas não-Hodgkin, descobriram-se alterações nos cromossomas, adquiridas durante a vida do doente. Essas anomalias não são transmissíveis de geração em geração, estando presentes apenas no tecido linfático do doente.

Fonte Infocancro